O que podia melhorar em certos estabelecimentos comerciais – Management e secções de maior movimento – Restauração

Eu acho que se eu fosse um patrão, chefe ou supervisor de um restaurante – e digo restaurante porque é a minha área (restauração) – creio que seria a pessoa mais justa e correcta que alguma vez um empregado já encontrou.

Em todos os trabalhos que arranjei sempre tive um patrão, supervisor ou um chefe (não confundir com chef de cozinha), e a maioria deles acham que tem “o rei na barriga” e gostam muito de se armar e falar de nariz empinado. Geralmente, não falam com os empregados, sao arrogantes quando dirigem a palavra a um funcionário, nunca debatem sobre as nossas ideias e sugestões com receio ou medo que saibamos mais que eles ou venhamos a ter um cargo igual ou superior ao deles (mas obviamente que nem sempre é o caso), sao malcriados, ignoram os funcionário quando passam por eles, não fazem o mesmo que um funcionário faz (não sao muito de trabalhar a serio), e eu sinto que a vida destas pessoas é bastante miserável.

Esta sao umas das razoes pelo qual eu nunca quis um cargo destes, e não sou muito admirador deste tipo de pessoa para ser sincero. Eu lembro-me perfeitamente como se fosse hoje, quando trabalhava no Aeroporto de Lisboa, tínhamos um colega que era como nós, empregado de balcão e mesas e estávamos sempre na boa na brincadeira quando era preciso, era um tipo muito bacano e porreiro e todos se davam bem com ele, e houve um dia que chegou a supervisor. A partir desse dia, começou a informar as outras pessoas que trabalhavam com ele antes, que desse dia em diante tinham que se moderar e não podiam agir com ele como faziam anteriormente. A pessoa mudou a maneira de ser pelo simples facto de ter uma posição maior na empresa, e começou a afastar todos aqueles que até á data o achavam um “gajo porreiro”.

Eu compreendo muito bem que quando temos este tipo de cargos, a responsabilidade é maior, ha mais coisas a fazer, a pessoa tem de ter mais sentido de orientação, é muito mais stressante e tem de lidar com varias coisas ao mesmo tempo, claro que eu percebo isso. Mas daí até mudar a personalidade do dia para a noite é algo que não percebo, se calhar preciso de passar pelo mesmo para poder entender melhor.

No meu trabalho actual, tenho um colega que subiu a Manager. O que mudou? Nada.
Continua a ser o mesmo colega porreiro que era antes de ser Manager. Toda a gente se dá bem com ele, brinca com os colegas, ouve as pessoas e as ideias embora para já não possa fazer muito porque só subiu de cargo a um par de meses, logo, está um pouco limitado a certas funções, mas não mudou ou se achou mais importante por isso. Entretanto, tem mais responsabilidades em cima e tem de manter o local de trabalho confortável e seguro para ele e para os que trabalham á sua volta. Mas isto é em no RU, em Portugal nós temos muito a mania que somos bué importantes e superiores e tal. Mais do mesmo. Como contado no artigo clicando aqui.

Entretanto, as melhorias que podiam acontecer como já lemos neste texto, cita o facto de algumas pessoas com cargos mais elevados, melhorarem a sua postura, maneira de ser no local, e a interacção para com os restantes funcionários. No meu ponto de vista esta é a principal área onde deveria haver um maior aperfeiçoamento.

Um outro ponto a meu ver também muito importante sao os intervalos para funcionários que trabalham de 6 a 12 horas por dia. No meu caso, eu trabalho de pé e caminho quilómetros durante os meus turnos, andar a pé faz bem, é verdade, mas somos seres humanos e não máquinas. Todas as pessoas merecem um intervalo, pelo menos de 1 hora a cada 8 horas de trabalho, isto, já contando com pequenos intervalos para quem fuma e com o intervalo para a refeição. Há pessoas que quando estão muitas horas de pé, estejam em movimento ou não, se sentem cansadas e tem de pelo menos sentar, ir comer qualquer coisa, ter um intervalo justo. Isto não só para melhorar a nível físico, mas também psicológico.

Eu já estive em trabalhos onde me senti quase como explorado, mas sempre recebi por isso, sempre fui pago. Há pessoas que estão muito bem com apenas 8 ou 9 horas de trabalho por dia, ainda assim 8 é naquela, mas vamos considerar este numero como um tempo padrão e universal.
Como todos sabem, a minha área é a restauração. E no RU (e parece que agora em Portugal também) há companhias hoteleiras que “obrigam” o funcionário a exercer a sua função durante 10 a 12 horas por dia. Eu não sou um gajo preguiçoso, e até trabalho bastante e bem demais, não é a toa que só no inicio do ano ganhei dois míseros aumentos assim como outros colegas meus, nem todos tiveram essa sorte, mas 10 ou 12 horas por dia, para mim, é um exagero e é levar quase a pessoa ao limite. Mas há pessoas que nem se importam, mas eu sim.

Geralmente os restaurantes dividem-se por balcão, mesas, cozinha, e em alguns estabelecimentos, o bar. Há dias em que estás sozinho, por tua conta numa determinada secção, e que tens de correr, literalmente, para que todos os clientes sejam atendidos a tempo e para que não haja demoras. Por vezes faz falta mais um funcionário naquele local onde a pessoa está, as vezes até mesmo duas.
E uma coisa que acontece muito no meu trabalho é que, no balcão podem estar a trabalhar 5 pessoas, mas nas mesas, estou sempre eu, uma única pessoa, e quantas vezes o restaurante está a abarrotar e eu sou a única pessoa a dar conta de 3 seccoes das mesas… Reclamações sobre o meu desempenho: zero. Porque quando um gajo é bom e sabe trabalhar, as coisas correr sempre bem. 😀

Agora imaginem isto durante 12, e sem exagero 13 horas por vezes.
É que não é só atender clientes e levar a comida á mesa. É lidar com gajos que beberam demais, reclamações porque a comida está fria e um gajo tem de voltar á cozinha com a refeição e depois na cozinha também os chefs que la estão encontram-se super ocupados e sem espaço para colocar os pratos já confeccionados, funcionários zangados e cansados, chefs com a mania que sao Gordon Ramsey ou Jamie Oliver… Enfim, não é fácil. Mas posso dizer que a maioria dos dias sao bastante bons e correm bem. Agora, há dias em que precisamos de mais funcionários e aparentemente isso já está a acontecer onde trabalho.

Sorrir, manter a calma, pedir ajuda quando necessário, sao coisas que temos de fazer porque nos pagam para isso, mas a nível pessoal nunca devemos perder o controlo sob qualquer circunstancia e ser o mais simpático possível. Não façam como eu que, tenho alguns clientes regulares que os ignoro completamente se vejo que é necessário e alguns mando-os fud@#£.

Se és um Manager, ajuda a tua equipa, trata-os com respeito e dignidade. Paga o que eles merecem, não sejas um “caroucho” agarrado ao dinheiro. Cumprimenta os teus empregados e trata-os como amigos para que possam fazer a tua empresa crescer. Mantém os teus funcionários do teu lado. Não sejas mandão ou um gajo com a mania que lá porque é superior não tem de fazer nada (tipo Cláudio do Crowne Plaza). Não sejas uma besta como a maioria e muito menos um fucking hipócrita como quase todos.

Qual o seu grau de satisfação deste artigo?

Average rating 5 / 5. Vote count: 3

No votes so far! Be the first to rate this post.

Partilhe este artigo nas suas redes!