Viver e trabalhar num país diferente do meu era uma das coisas que eu nao tinha em mente, excepto quando fui para Espanha há muitos anos e fiquei lá por volta de 3 anos e meio. Ainda assim, passado um tempo, comecei a ter uma curiosidade de saber como era estar num país onde as pessoas falassem inglês. Podia ser America, Canada, Austrália, etc. Mas calhou ser o Reino Unido.

Há cerca de 11 ou 12 anos atrás frequentei um curso de geriatria cedido e pago pelo centro de emprego em Lisboa, (arrota governo), e o mesmo deve ter tido a duração de 1 ano e meio mais ou menos. Ao longo do tempo que fomos frequentando o curso, fomos também conhecendo outras pessoas, falando com elas e debatendo sobre vários assuntos. Após nos conhecermos melhor, uma colega nossa lançou a ideia de eu e uma outra colega minha visitarmos o Reino Unido e ver se gostávamos do país. A minha colega foi 1ro, mas voltou e não gostou muito. Claro, Londres é sempre mais agitado, confuso, e caro.

A seguir, passado um par de meses la fui eu, com viajem paga, conta bancaria preparada e até o numero de contribuinte britânico pronto a ser levantado no caso de eu decidir lá ficar.
Era a minha primeira vez que andava de avião, foi um bocado assustador mas empolgante ao mesmo tempo, acho que durante a viajem de Lisboa até ao Reino Unido não consegui dormir, eu estava mais interessado em ver como era o céu através das janelas, e faz sempre bom tempo acima das nuvens, como costumo dizer.

Finalmente, passadas uma hora e quarenta e cinco minutos, chego a Manchester.
Depois de sair do aeroporto, e depois de alguém me ter ido buscar, chego então ao centro da cidade. Uma cidade enorme, não tao movimentada como Londres, mas com muitos edifícios antigos, muita gente, e tudo avermelhado, ou quase. A primeira semana foi quase como que umas mini-ferias. Acordava de manha, tomava o pequeno almoço, e saia para a rua para explorar um pouco a cidade de Manchester. Eu não podia ir muito longe porque quando cheguei não conhecia nada nem ninguém, e na altura não tinha um telemóvel com GPS caso me perdesse, mas havia um centro comercial ali perto que era o meu ponto de referencia. E foi assim durante uns dias.

Como em Portugal eu não tinha nada que me prendesse lá, não tinha um trabalho porque sempre era difícil encontrar ou não me aguentava nos mesmos, vivia num quarto mas nem sempre podia pagar a renda porque não tinha dinheiro e não tinha emprego fixo, ajuda familiar ou de amigos era completamente zero, decidi falar com a pessoa que me acomodou em sua casa e propus a hipótese de ficar no RU definitivamente e ver como as coisas corriam. Na altura nem se sonhava em Brexit ou coisas do género. Após uma conversa bem séria que durou cerca de 15 minutos, decidi no dia seguinte começar á procura de trabalho. Esta pessoa que me ajudou aqui, fez comigo um CV (Curriculum Vitae), ajudou-me a tratar da documentação necessária para eu poder trabalhar, e adivinhem: levou apenas 2 ou 3 dias até eu ser admitido num restaurante de comida oriental no centro da cidade. Um dos acordos que fiz com esta pessoa que me ajudou, foi que, assim que eu começasse a ganhar o meu próprio dinheiro, eu iria sair da casa dela e arranjar um quarto para mim onde estivesse mais a vontade, e tudo correu bem e como previsto.

E resumidamente, a partir daí foi continuar a trabalhar, explorar a cidade cada vez mais, a cultura deste país, as pessoas, e as coisas tem corrido dentro da normalidade. Existem altos e baixos mas nada comparado ás dificuldades que eu tive em Portugal quando lá vivia, ao ponto de ter chegado a ser um sem-abrigo durante duas semanas, que felizmente também tive ajuda e consegui sair de algo que podia muito bem ter sido para sempre. Neste país só me mandaram embora de um trabalho uma única vez (Holiday Inn Express como linen porter), em Portugal era sempre. Neste país (RU), sempre tive trabalho, o máximo tempo que eu estive sem trabalhar foi 1 mês aproximadamente, e o máximo tempo que eu me aguentei aqui num trabalho foram 4 anos. Em Portugal existem pessoas que dizem estar a tentar arranjar trabalho há anos, nunca entendi muito bem isso, mas ok…
No Reino Unido, podes trabalhar com qualquer idade; no meu trabalho actual, temos um colega a lavar pratos e a dar assistência na cozinha, e ele tem os seus 60 anos, quase 70, é tratado igual como se tivesse 20, 30, ou 40 anos. Em Portugal, com 40 anos já ninguém te dá trabalho. Ou seja, muito cedo para pedir a reforma, e muito tarde para poder ter um trabalho.

E foi assim como vim parar a este país e ainda cá estou. Não tenciono voltar a Portugal, por razões óbvias, ate porque o meu país já não tem nada para me dar, nunca me deu nada mesmo e como tenho autorização do governo para viver e a trabalhar aqui, vou continuar por cá e espero no futuro poder trazer outras pessoas para que a vida das mesmas mude um pouco para melhor.

Vir para o Reino Unido foi sem duvida, para mim, a melhor decisão e escolha que pude ter feito a cerca de 11 anos atrás e voltava a fazer se isso fosse possível sem pensar duas vezes.

Qual o seu grau de satisfação deste artigo?

Average rating 5 / 5. Vote count: 3

No votes so far! Be the first to rate this post.


Blog De Um Tuga

Criador do blogue "blogdeumtuga.com" fala e escreve sobre as suas experiências pessoais e aborda alguns assuntos de interesse dependendo do seu ponto de vista e opinião pessoal. Fotógrafo amador e blogger português. WordPress site designer. Locutor / Broadcaster.

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Translate »