Ter um carro, uma casa, um bom emprego com um óptimo ordenado, nem sempre define uma pessoa como ter uma vida boa. Uma vida boa não é só quando se tem bens materiais ou uma conta com uma boa quantia de dinheiro.

É também quando tens pessoas á tua volta que se preocupam contigo, sejam amigos ou familiares. É quando alguém te liga, te convida a participar em actividades, é quando por alguma razao a pessoa se sente bem e protegida quando fala contigo, e quando te procuram quando precisam de apoio ou simplesmente pela companhia.

No meu caso, não posso dizer que tenha um trabalho como gostaria, mas pagam-me e felizmente tenho comida na mesa, não tenho carro, até porque os transportes públicos sao mais baratos embora limitados, e não tenho uma casa minha (ainda) porque para já não me vejo em condições de ter uma embora as coisas no futuro possam vir a mudar um bocado, mas para já viver num quarto alugado é a melhor opção.

Isto pode parecer e dar a entender que eu estou sempre a fazer a conversa do choradinho e “ai coitadinho e tal…” para que as pessoas tenham pena e se aproximem de mim, mas não é bem isso. As coisas que as vezes escrevo é para lhes mostrar o tipo de pessoas que sao e que representam ao meu ponto de vista. E voltando um pouco atrás e ao mesmo tempo desenvolvendo, o ter pessoas á minha volta que se preocupam comigo é para esquecer. Vou ser sincero e verdadeiro: não tenho. Não sei o que é (já á muito tempo) alguém me ligar ou vir ter comigo e perguntar por exemplo pela minha filha, ou como estou, se preciso de alguma coisa, ou se está tudo a correr bem num modo geral. As pessoas não fazem puto de ideia como as vezes eu me sinto tao ignorado e excluído. E ainda se acham com razao, isso é ainda mais estúpido. Mas enfim.

As pessoas que eu conheço, tem Facebook e outras maneiras de se comunicarem comigo, SMS, chamadas, WhatsApp, etc. Eu não acredito que, por muito ocupadas que estas pessoas estejam na vida, seja por trabalho, ou pelo que for, não tenham 1 único minuto que seja para ligar ou mandar uma mensagem a perguntar por mim ou pelo menos pela minha filha. Conheço pessoas que sao capazes de ficar semanas e até meses sem me virem dizer nada, e ainda há quem ache que tenho de ser eu a chegar-me á frente e ser o primeiro a dar o primeiro passo. Por esta ordem de ideias, se eu não mostrar interesse, também ninguém se vai lembrar de que existo. E depois acham-se grandes amigos. Para mim, isto não é a definição correcta de boa amizade. Mas tudo bem.

Quando eu falo em participar em actividades, (e esta é a parte melhor), eu falo por exemplo em almoçar ou jantar juntos, ir a uma noitada, viajar com amigos, a coisa mais normal do mundo. Tipo vamos fazer um plano, ver onde ir e ficar e vamos juntos conhecer outro país, por exemplo. Com amigos, assim como se fosse com família, normal.
A resposta que sempre tive em relação isso foi “Arranja uma namorada e a gente vai os 4″… Mas tipo, eu vou me divertir e passar uma boa temporada com pessoas que considero meus amigos, não vou propriamente fazer uma orgia. Só que as vezes a mentalidade das pessoas é tao fraca e retrógrada que depois acaba-se por não se fazer nada porque não sao capazes de “sair fora da caixa” e fazer coisas diferentes. E mais uma vez, se há coisa que a mim me deixa “doente” é quando as pessoas te evitam, te excluem, simplesmente esquecem-se de quem és, ignoram, cagam para ti sem razao aparente, e depois quando uma pessoa fala sobre o assunto ainda acham que estas errado.

Muito sinceramente ando muito farto deste tipo de atitudes que as pessoas tem para comigo, mas ao mesmo tempo, por estranho que pareça, é algo que já estou á espera e por isso não me admiro muito com este tipo de situações. Tento me adaptar e mentalizar-me de que e mesmo assim, embora não seja, e não me pareça que seja normal.

Eu acho que, a pior coisa que o ser humano pode sentir, é o abandono, ser ignorado, esquecido. Seres tudo, e depois não seres mais nada porque possivelmente já não tens nada para dar, ou o que tens não é interessante. E as pessoas que deviam estar ao teu lado, por vezes não imaginam o que se passa nos “bastidores”. Se por exemplo, eu tiver 3, 4 ou 5 dias de folga, eu passo as minhas folgas em casa, sozinho, ás vezes nem saio á rua porque não tenho motivação para isso, nem vontade, e acabo por me fechar num ambiente não muito bom. Depois admiram-se quando se fala em depressão, tristeza, etc, e pensam que isso não existe ou é uma doença, para aqueles que acreditam.

Mural da historia, com uma pergunta: se eu conheço tanta gente e muitos me conhecem e sabem quem eu sou e onde me encontrar, porque raio ninguém me diz nada? Porque que só eu é que tenho de ir ter com os outros? Depois ainda acham que um individuo está a mendigar por atenção.

Se calhar até é isso. Se formos a analisar bem as coisas…
Uma boa vida, é quando tens pessoas que te querem bem, se preocupam contigo, e não te esquecem. Isso sim, é uma boa vida.

Qual o seu grau de satisfação deste artigo?

Average rating 5 / 5. Vote count: 4

No votes so far! Be the first to rate this post.


Blog De Um Tuga

Criador do blogue "blogdeumtuga.com" fala e escreve sobre as suas experiências pessoais e aborda alguns assuntos de interesse dependendo do seu ponto de vista e opinião pessoal. Fotógrafo amador e blogger português. WordPress site designer. Locutor / Broadcaster.

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Translate »