Já pela segunda vez que um cliente português que vai no meu local de trabalho me faz uma proposta que inclui trabalhar numa cozinha de um restaurante britânico do qual eu não sei o nome ou qual o estilo de pratos que eles servem. É verdade. Como as coisas são.

Desta ultima vez as coisas foram um pouco diferentes, e eu tive de lhe dar a resposta, e ao mesmo tempo isto faz-me ver como nós tugas somos tão, mas tão iludidos e temos uma visão da realidade que realmente não corresponde ao que é real,… se é que me entendem.

Bom, este senhor chegou á “minha beira” (mesmo á norte carago, dasssss), e perguntou-me se eu tinha pensado na 1ra proposta dele acerca de trabalhar como chef de cozinha no restaurante dele. Eu só lhe disse que se ele me pagasse igual ou mais do que eu realmente ganho no meu trabalho actual talvez pudéssemos conversar sobre isso. Prontamente ofereceu-me £9 á hora. Durante alguns segundos ainda me fez pensar, mas depois caí em mim e comecei a reflectir melhor na proposta dada.

Vejamos, no meu local de trabalho actual eu tenho:

  • Bónus mensais se aquele restaurante especifico cumprir com todas as normas de segurança e higiene exigidas, para todos os funcionários (podemos auferir cerca de £400 na ultima semana de cada mês),
  • Comida ou refeição totalmente gratuita se trabalharmos mais de 6 horas, caso contrario recebemos um desconto de 20% pela refeição que escolhermos no nosso intervalo se não auferirmos as 6 horas,
  • Temos férias ou dias Off sempre que precisarmos, apenas temos de marcar com 1 mês aproximadamente de antecedência,
  • Clientes que eu nunca vi na minha vida sabem o nosso nome e a gente nem os conhece (apenas um pormenor extra e tal),
  • Todas as horas trabalhadas são pagas, (existem patroes portugueses onde ainda se trabalha ao estilo de “trabalhes 20 ou 40 horas o valor é o mesmo”) pagam o ordenado minimo e não reclamas mesmo que seja no Reino Unido,
  • A partir das 00h pagam £1 a mais por cada hora,
  • Recebo gorjetas quer seja no bar ou nas mesas,
  • E agora não me lembro assim de mais nada de repente, lol

Onde eu estou a trabalhar, comecei na secção da cozinha, eu mostrei que não era a minha onda por muito que eu tentasse, e eles viram que realmente eu não tinha aptidão para aquela secção. Não me mandaram embora, não me despediram, não ficaram chateados, e hoje sou uma das pessoas que mais reconhecimento tem por trabalhar duro e bem na parte das mesas e balcão. Aliás, comecei a receber treino como barman recentemente e estou a gostar, e uma vez mais estou a ser reconhecido por isso num pub onde 95% dos funcionários são ingleses.

A forma como fui abordado também não foi a melhor. Este tipo chegou-se ao pé de mim e mencionou que “não podia ter medo de trabalhar, e que se fosse trabalhar para junto dele, eu tinha de correr e ser rápido“, mas isso é normal em qualquer ramo hoteleiro no Reino Unido. Eu estou nas mesas e sou o que dá mais ao litro ali naquele sitio porque as restantes pessoas parece que estão ali a passar férias em vez de correr quando é preciso, e o meu medo não é de trabalhar seguramente.

Aquela pessoa ainda deve viver neste país á menos tempo que eu. Eu não vivo aqui á 13 meses ou á 13 semanas, vivo á 13 anos. Tive tempo para aperfeiçoar o meu inglês e me adaptar ao estilo e método de trabalhar deste país, que, como muitos devem saber, é o que mais taxa de stress tem a nível profissional e onde todas as empresas da industria hoteleira e não só lutam arduamente para promover a saúde mental.

Por outro lado, eu não vou aceitar esta proposta, não só pela forma como fui abordado pela segunda vez, mas porque eu não tenho qualquer necessidade até ao momento de mudar de trabalho. Atenção que chef de cozinha não é a minha praia, mas imaginem que realmente até aceitava a proposta que me foi dada por este cliente português. Passava uma semana, passava um mês, e aqui o je não servia para o trabalho. O que ia acontecer? Mandar-me-iam embora porque não sirvo, ou até possivelmente davam-me menos horas do que aquilo que eu recebo onde estou. E depois fazia o que da minha vida?

Ou seja, saía de um local onde estou seguro, ía para outro onde não tenho bases sobre nada de nada, e acabava por fechar portas desnecessariamente só porque alguém que é do mesmo país que eu acha que eu tenho aptidão para algo que eu nem sequer estou interessado em seguir. Não vai acontecer.

Se ele realmente quer pessoas para trabalhar no seu restaurante como chef de cozinha, existem muitos portugueses (tugas) que chegam a Inglaterra para ter uma vida melhor e até hoje estão á procura de trabalho e têm de voltar a Portugal porque não conseguem emprego, basta para isso ir nos grupos do Facebook de portugueses em UK e outros deste estilo e colocar lá um anuncio. De certeza absoluta que arranja alguém na hora.

Não vou é andar de cavalo para burro só porque um tipo iludido faz promessas que não vai poder cumprir no futuro, e muito sinceramente não tenho necessidade de sair de onde eu estou.

Qual o seu grau de satisfação deste artigo?

Average rating 0 / 5. Vote count: 0

No votes so far! Be the first to rate this post.

Categorias: Blogue

Blog De Um Tuga

Criador do blogue "blogdeumtuga.com" fala e escreve sobre as suas experiências pessoais e aborda alguns assuntos de interesse dependendo do seu ponto de vista e opinião pessoal. Fotógrafo amador e blogger português. WordPress site designer. Locutor / Broadcaster.

Translate »