(Artigo especial dedicado a um “Helder” e a um “Paulo”. No decorrer do texto vão entender porquê.)

Acho que nunca falei neste tipo de tópico tao a fundo como vou fazer agora.
Este artigo vai mesmo valer a pena ler para que as pessoas em Portugal tenham também a noção do quanto ás vezes nós sofremos e lidamos com coisas que no nosso país nunca aconteceriam, e se acontecessem, seria mesmo muito raramente.

Os restaurantes normais ou “fancy” no Reino Unido funcionam sempre de uma forma muito pacifica. A comida é muito gourmet, os clientes são muito selectivos, educados, sabem o que querem, uma reclamação é quase feita de um modo cortez, há um dialogo sempre efectuado de um modo extremamente educado, estar bêbado num restaurante deste tipo é quase como estar sóbrio, há entendimento, e no fim o funcionário ainda leva gorjeta. Eu já trabalhei num restaurante assim e é muito bom, mas é preciso saber o que se está a fazer! Há padrões que têm de ser mantidos para o bom nome da companhia.

Geralmente estes locais são muito frequentados por pessoas “importantes” da radio, tv, membros do estado, actores conhecidos e pessoas que são donos de grandes empresas. A comida é cara e geralmente a quantidade que é servida nos pratos é muito pequena, talvez derivado ao tipo de produto servido, como por exemplo o caviar. Também já comi e gostei. Resumindo, não é aquele tipo de restaurante que se queira ir comer todos os dias por ser caro, nem é aquele tipo de local onde a pessoa vá e possa ter uma noite de copos com os amigos, mas é óptimo para casais.

As coisas mudam de figura quando saímos do centro da cidade, e vamos para um pub nos arredores.
Preparem-se para uma noite de copos e muito mais. Quero acreditar que nem todos os pubs são assim, por isso mais uma vez vou me basear no meu local de trabalho actual para se ter uma ideia do que podem encontrar e depois não ficarem admirados. É aqui que os dois nomes acima mencionados (e outros que eu até conheço muito bem) entram, pois já os conheço e sei que não serviam para trabalhar num local destes. Pois o mais certo era eles começarem logo á porrada (que é o que sabem fazer melhor nesta vida) com os clientes e indulta-los por possivelmente não levarem tao bem uma reclamação dos mesmos. Ou seja, inversão de papeis.

A maioria dos pubs funcionam com elevado nível de segurança.
Nem todos os clientes são pacíficos e quando bebem demasiado podem destabilizar outros clientes á volta e os funcionários. Geralmente quem fraquenta estes locais são pessoa que vivem perto (local costumers), presidiários, pessoas com distúrbios mentais, pessoas que no inicio até parecem mais ou menos mas depois cai-lhes a ficha quando ingerem álcool, reformados (ás vezes parece que estou a trabalhar num lar da 3ra idade e estes ganham a reforma para gastar em medicamentos e frequentar pubs locais), e muitos outros tipos de pessoas que passam por ali e que não interessam a ninguém mesmo.

Já aconteceram vários casos que nos levam muitas vezes a desistir e a procurar outros trabalhos. Posso mencionar por exemplo um dos artigos que escrevi em Maio, mencionando clientes que têm epilépsia e ainda assim insistem em ingerir álcool ao ponto de ter que ser chamada uma ambulância, (ler aqui).
Tive também em Março um relato que se passou comigo onde um cliente acaba por ter um comentário racista, (clicar aqui para ler). E isto já para não mencionar quando clientes pebados, mal-dispostos e pedrados se metem com outros clientes e poderá haver porrada ou a destruição de alguma coisa no pub.

Nestes locais geralmente as bebidas alcoólicas são os produtos mais procurados por serem relativamente baratos, e a comida é congelada e vendida ao preço da merda, ou seja, quase nada. Com 5 libras comes uma refeição com bebida a acompanhar. De “fancy” não tem nada, nem musica existe por vezes. Mas alguns pubs têm uma Juke Box ou karaoke, e até mesmo mesas de bilhar.

Obvio que nós temos este tipo de aviso no meu local de trabalho, os managers estão sempre prontos a intervir no caso de ser necessário, mas até alguns deles têm medo de defender o staff. No caso de haver algum conflito físico ou verbal eles têm de fazer tudo o que estiver ao alcance para manter o estabelecimento e o staff seguros. Lixado mesmo é quando estas coisas acontecem com mais frequência. E nestes casos, por vezes, temos de ouvir e calar.

E ontem por acaso calhou um cliente insultar a mim e aos chefs de cozinha simplesmente porque meteu na cabeça que o queijo para o hambúrguer estava congelado e não derreteu em cima da carne quente. E quando tentei ajudar parece que ainda fiz pior. Ou seja, o cliente reclamou e pediu a devolução do dinheiro já depois de ter comido o hambúrguer. Escusado será dizer que não levou devolução alguma, e ter ficado chateado quando lhe sugeri que quando algo deste tipo voltasse a acontecer que o mencionasse no inicio para que fosse possível dar a volta á situação.

Ora, ha certas pessoas que se estivessem em situações destas, para eles era um “delírio”, eu conheço gente que se pudesse passaria o tempo todo á porrada ou a entrar em conflitos desnecessários, tais como os nomes que eu mencionei em cima. Tolerância não existe, acalmar a situação muito menos, e não me parece que estas pessoas fossem capazes de trabalhar num sitio assim, na verdade nem uma semana lá ficavam. Ou eram despedidos com uma ordem disciplinar, ou então iam-se embora pelo seu próprio pé.

E agora vem a pergunta que muitos podem estar a fazer neste momento: então mas, se não existe segurança, o staff está de certa forma em risco, e estas coisas se passam no teu local de trabalho, porque ainda estas lá? Não seria altura de mudar e zelar pela tua segurança?

A resposta é: se eu for trabalhar para outro local do mesmo ramo ou noutra coisa qualquer, não vou encontrar as regalias que tenho ali, nem mesmo num restaurante “fancy” de 5 estrelas, tais como: bônus mensais, valor á hora acima do ordenado minimo, pagamento á semana, comida gratuita para o staff após 6 horas de trabalho, e teria de gastar mais dinheiro só em transportes se tivesse que trabalhar no centro da cidade, (em muitos locais tens de pegar ás 6 da manha ou terminar após a meia-noite e a essas horas não ha transportes públicos, e um táxi todos os dias é só mesmo para quem pode). E o meu trabalho fica a 6 minutos de casa a pé.

Nem todos os pubs são iguais, mas assim as pessoas ficam com uma ideia da diferença que existe perto de um restaurante dito normal. Nem toda a gente está preparada e treinada para trabalhar debaixo destas condições que, têm o seu lado bom, mas é preciso ter estomago para certas e determinadas coisas. Nunca um Helder, ou um Paulo seriam na vida capazes de estar debaixo de fogo como por vezes eu estou.

Nem sempre há respeito por parte dos clientes para quem ali trabalha, e os serve. Mas é normal e não se pode fazer nada em relação a isso.

Já mencionei que por vezes há malta que vai cheirar droga para as casas-de-banho?
Pois, acontece.

Qual o seu grau de satisfação deste artigo?

Average rating 4.7 / 5. Vote count: 3

No votes so far! Be the first to rate this post.

Categorias: Blogue

Blog De Um Tuga

Criador do blogue "blogdeumtuga.com" fala e escreve sobre as suas experiências pessoais e aborda alguns assuntos de interesse dependendo do seu ponto de vista e opinião pessoal. Fotógrafo amador e blogger português. WordPress site designer. Locutor / Broadcaster.

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Translate »